Blog do Ailton Amélio

Busca

22/06/2014

As mulheres ainda estão muito passivas nos inícios de relacionamentos amorosos

Uma pessoa é passiva quando permanecesse em uma situação que lhe é desconfortável porque deixa de usar ferramentas que estão ao seu alcance para lidar com ela.

Para você fazer uma ideia do seu grau de passividade no início e progresso de relacionamentos amorosos, responda às seguintes questões:

1- Você prefere ficar só ao invés de tomar iniciativas que revelem o seu interesse amoroso?

2- Você não sabe como mostrar interesse amoroso pelo parceiro?

3- Você não toma iniciativas de iniciar ou reiniciar contatos e sempre espera que o parceiro faça isso?

4- Você não sabe como flertar sutilmente (sem ser explícita), ao vivo e durante bate papos virtuais?

5- Você não sabe como instalar um clima amoroso e desviar-se de um clima neutro ou puramente amistoso?

6- Você não sabe como conduzir sutilmente a conversa para criar um clima romântico?

7- Você não sabe como conduzir sutilmente a conversa para produzir um clima erótico?

8- Você não percebe o momento certo para tomar medidas que façam progredir o relacionamento sem que essa progressão fique lenta ou rápida demais?

9- Você não sabe criar um contexto que induza o parceiro a apresentar um convite ou que o faça tomar medidas para fazer o relacionamento progredir?

10- Você prefere ficar só a correr o risco de tomar alguma iniciativa para fazer o relacionamento progredir e ser mal vista ou rejeitada por isso?

Quanto mais respostas afirmativas você apresentou para essas questões, mais passivo você é nos inícios de relacionamentos.

O que você vai ler neste artigo

Existem vários motivos para as dificuldades para iniciar e fazer progredir um relacionamento amoroso: falta de atrativos, timidez, baixa autoestima, ausência de intenções sérias dos parceiros, inabilidades para flertar, etc.

Neste artigo, vou apontar uma das dificuldades que é apresentada por mulheres que não conseguem iniciar e fazer progredir relacionamentos amorosos: elas podem ser muito fracas para tomar iniciativas ou para corresponder às iniciativas que são tomadas pelos seus pretendentes! Muitas delas morrem à míngua, mas se recusam a tomar iniciativas que revelem, de forma mais clara, seus interesses amorosos pelos parceiros. Quando pensam em tomar essas iniciativas, elas sentem que, ao agir assim, poderiam parecer “oferecidas”, “inadequadas” e “muito expostas”, aos próprios olhos, aos olhos do parceiro e aos olhos de outras pessoas. 

Roteiros inconscientes que controlam os relacionamentos amorosos

A nossa sociedade possui inúmeros roteiros (“scripts”) sobre as formas “apropriadas” de homens e mulheres se comportarem na área do relacionamento amoroso. Por exemplo, uma forma “ideal” de cortejamento é aquela onde o cavaleiro galante faz serenata sob a janela da donzela ou escala a trepadeira para chegar ao seu quarto. Você já viu algum filme onde uma mulher se põe a cantar sob a janela do amado ou escala trepadeiras para chegar ao seu quarto? Seria chocante ou hilário, não é? Pois bem, esses são alguns dos milhares de roteiros que existem nesta área, que são seguidos  inconscientemente por quase todo mundo e que, muitas vezes, limitam e prejudicam seus seguidores mais fiéis!

É o homem que deve convidar para sair na primeira vez?

Um estudo americano mostrou que, antigamente, a grande maioria das mulheres interessadas em sair com um homem esperaria que ele a convidasse. Caso não recebesse esse convite, ela não faria nada, mesmo se gostassem muito dele. Ela nem insinuaria e, muito menos, o convidaria para sair. Pois, estas duas últimas opções fariam que ela fosse vista e se visse como “oferecida”, “fácil”, “sem dignidade” ou coisa pior.

Na década de setenta foi constatada uma evolução nesta área: boa parte das mulheres, quando queria sair com alguém, insinuava que tinha esse desejo, como mostra a pesquisa cujo resumo apresento em seguida.

Esperar, insinuar ou convidar?

Uma pesquisa realizada por Muehlenhard e colaboradores nos EUA, na década de setenta, mostrou que a pior coisa que uma mulher poderia fazer é não fazer coisa alguma para verificar se uo seu interesse amoroso estava sendo correspondido (veja a citação deste artigo na Nota, no final desta postagem).

Esses pesquisadores perguntaram para 579 estudantes de um curso introdutório de psicologia (431 homens e 148 mulheres que tinham uma idade média de 19 anos) o que uma mulher deveria fazer, caso ela estivesse interessada em sair com um homem, mas este não a tivesse convidado. Nesta pesquisa foram oferecidas três alternativas de respostas: (1) convidar, (2) apresentar sinais de interesse em sair com ele e (3) esperar que ele tome a iniciativa de convidar.

Tanto os homens como as mulheres afirmaram que o melhor tipo de iniciativa que deveria ser tomado pelas mulheres nesta situação seria a apresentação de sinais de interesse em sair com o parceiro (69,2% deles e 62,7% delas aprovaram essa forma de agir). O segundo tipo de iniciativa, convidar o parceiro, foi fonte de divergência entre os dois sexos: apenas 2,7 das mulheres e 26,5% dos homens acharam que a melhor medida seria convidá-lo. Esta diferença nas percentagens contradiz a crença popular que afirma que os homens não querem que as mulheres tomem esse tipo de iniciativa. Pelo contrário, esses resultados indicam que uma percentagem muito maior de mulheres do que de homens acham inapropriado este tipo de iniciativa.

“Esperar” só recebeu apoio substancial por parte das mulheres: 34,7% delas apoiaram este tipo de inação, contra apenas 4,3% dos homens que também a apoiaram.

Esta pesquisa revelou que quase a totalidade dos homens apoiava algum tipo de iniciativa feminina para marcar encontros (manifestar interesse +  convidar = 95,7%). Embora a grande maioria das mulheres dessa pesquisa também tivesse apoiado algum tipo de iniciativa feminina (manifestar interesse + convidar = 65,4%), cerca de um terço delas ainda achavam que a melhor atitude da mulher seria, simplesmente, esperar a iniciativa masculina!

Já faz um bom tempo que essa pesquisa foi realizada. Além disso, ela foi realizada em outro país. No entanto, creio que ainda hoje, aqui no Brasil, a mulheres são bem mais passivas do que os homens para tomar medidas explícitas para iniciar relacionamentos amorosos. No entanto, elas são muito hábeis em criar situações que facilitem convites amorosos por parte dos homens. Também são hábeis para flertar, o que acaba estimulando e encorajando os homens a convidá-las.

Um estudo exploratório que realizei indicou que os homens aprovam as mulheres que tomam iniciativas amorosas, mas tendem a considerá-las “avançadinhas demais” e, provavelmente, mais “fáceis” para fins sexuais do que as mulheres mais “recatadas”.  Esta forma dos homens encararem este tipo de iniciativa feminina parece explicar porque elas hesitam em apresentar esse tipo de convite: elas não querem ser encaradas como “fáceis” ou como “objetos sexuais”.

Liberação das mulheres na área amorosa

As mulheres vêm se liberando na área amorosa. Elas não precisam mais casar virgens, pelo contrário, isso até é mal visto (Ufa! Até que enfim!), podem “ficar”, não se sentem tão mal quando transam no primeiro encontro, não são consideradas “defeituosas” quando se separam, etc.

Apesar de todos esses avanços, ainda persistem várias diferenças entre os padrões de comportamentos que são socialmente esperados da parte delas e da parte de nós homens: muitas delas ainda consideram como inadequado fazer sexo sem afeto, masturbar-se, tomar iniciativas sexuais no início do relacionamento,  abordar o parceiro após uma paquera à distância, fazer esforço para  agradar o parceiro no primeiro encontro, etc.

A maioria de nós homens sente que é nossa tarefa convidar a mulher para sair e que temos que trabalhar mais que ela para que o relacionamento seja iniciado e progrida. Como cerca da metade dos homens são tímidos, estes sofrem muito quando as mulheres assumem uma postura mais reservada e enigmática no início do relacionamento. Quando isso acontece, existe uma boa chance que eles interpretem tais reservas como rejeição e, por isso, desistam delas.

Algumas iniciativas e reações das mulheres que seriam bem vindas

Muitas mulheres apresentam sinais muito fracos de interesse no parceiro e na conversa e, por isso, perdem oportunidades de iniciar e fazer progredir relacionamentos amorosos.

As seguintes medidas ajudam a conversa a ficar animada e são bem vindas quando são apresentadas tanto por homens como por mulheres:

- Dar os primeiros passos para iniciar o primeiro contato.

- Mostrar receptividade às iniciativas de contato que foram tomadas pelo pretendente. Por exemplo, nas conversas que acontecem através de aplicativos que são usados para iniciar e fazer progredir relacionamentos:

- Responder as mensagens rapidamente.

- Apresentar respostas favoráveis e estimulantes ao que foi dito pelo pretendente.

- Responder aos “ganchos” de assuntos que são lançados pelo pretendente e apresentar “ganchos” para facilitar a continuidade da conversa.

- Não ser sempre a primeira a terminar a conversa.

- Apresentar instigações para próxima conversa.

- Apresentar instigações e insinuações que contribuam para o progresso do relacionamento.

- Mostrar interesse em conhecer pessoalmente o pretendente.

- Mostrar animação com a conversa e com o que o interlocutor disse.

- Apresentar feedback pessoal para aquilo que o interlocutor disse (dizer o que você sentiu e pensou sobre aquilo que o interlocutor disse).

Você não consegue tomar iniciativas para iniciar e fazer progredir um relacionamento amoroso? Procure a ajuda de um psicólogo.

Nota

Muehlenhard, C. L. et al (1986). Verbal and nonverbal cues that convey intereste in dating: Two studies. Behavior Therapy, 17, 404 - 419

Use as ferramentas abaixo para compartilhar esse artigo. Caso você não queira que seus comentários sejam publicados, escreva para o meu e-mail: ailtonamelio@uol.com.br

Por Ailton Amélio às 09h12

21/06/2014

As mulheres ainda estão muito passivas nos inícios de relacionamentos amorosos

Para você fazer uma ideia do seu grau de passividade para tomar medidas que contribuam para o início e progresso de relacionamentos amorosos, responda às seguintes questões:

1- Você prefere ficar só ao invés de tomar iniciativas que revelem o seu interesse amoroso?

2- Você não sabe como mostrar interesse amoroso pelo parceiro?

3- Você não toma iniciativas de iniciar ou reiniciar contatos e sempre espera que o parceiro faça isso?

4- Você não sabe como flertar sutilmente (sem ser explícita), ao vivo e durante bate papos virtuais?

5- Você não sabe como instalar um clima amoroso e desviar-se de um clima neutro ou puramente amistoso?

6- Você não sabe como conduzir sutilmente a conversa para criar um clima romântico?

7- Você não sabe como conduzir sutilmente a conversa para produzir um clima erótico?

8- Você não percebe o momento certo para tomar medidas que façam progredir o relacionamento sem que essa progressão fique lenta ou rápida demais?

9- Você não sabe criar um contexto que induza o parceiro a apresentar um convite ou que o faça tomar medidas para o relacionamento progredir?

10- Você prefere ficar só a correr o risco de tomar alguma iniciativa para fazer o relacionamento progredir e ser mal vista ou rejeitada por isso?

11- Você teme tomar alguma iniciativa amorosa e isso dar uma conotação sexual para o relacionamento?

Quanto mais respostas afirmativas você apresentou para essas questões, mais inerte você é nos inícios de relacionamentos.

O que você vai ler neste artigo

Existem vários motivos que explicam as dificuldades para iniciar e fazer progredir um relacionamento amoroso: falta de atrativos, timidez, baixa autoestima, ausência de intenções sérias dos parceiros, inabilidades para flertar, etc.

Neste artigo, vou apontar uma das dificuldades que são apresentadas por mulheres que não conseguem iniciar e fazer progredir este tipo de relacionamento: elas podem ser muito fracas para tomar iniciativas ou para corresponder a iniciativas que são tomadas pelos seus pretendentes! Muitas delas morrem à míngua, mas se recusam a tomar iniciativas que revelem, de forma mais clara, seus interesses amorosos pelos parceiros. Quando pensam em tomar essas iniciativas, elas sentem que, ao agir assim, poderiam parecer “oferecidas”, “inadequadas” e “muito expostas”, aos próprios olhos, aos olhos do parceiro e aos olhos de outras pessoas. 

Roteiros inconscientes que controlam os relacionamentos amorosos

A nossa sociedade possui inúmeros roteiros (“scripts”) sobre as formas “apropriadas” de homens e mulheres se comportarem na área do relacionamento amoroso. Por exemplo, uma forma “ideal” de cortejamento é aquela onde o cavaleiro galante faz serenata sob a janela da donzela ou escala a trepadeira para chegar ao seu quarto. Você já viu algum filme onde uma mulher se põe a cantar sob a janela do amado ou escala trepadeiras para chegar ao seu quarto? Seria chocante ou hilário, não é? Pois bem, esses são alguns dos milhares de roteiros que existem nesta área, que são seguidos  inconscientemente por quase todo mundo e que, muitas vezes, limitam e prejudicam seus seguidores mais fiéis!

É o homem que deve convidar para sair na primeira vez?

Um estudo americano mostrou que, antigamente, a grande maioria das mulheres interessadas em sair com um homem esperaria que ele a convidasse. Caso não recebesse esse convite, ela não faria nada, mesmo se gostassem muito dele. Ela nem insinuaria e, muito menos, o convidaria para sair. Pois, estas duas últimas opções fariam que ela fosse vista e se visse como “oferecida”, “fácil”, “sem dignidade” ou coisa pior.

Na década de setenta foi constatada uma evolução nesta área: boa parte das mulheres, quando queria sair com alguém, insinuava que tinha esse desejo, como mostra a pesquisa cujo resumo apresento em seguida.

Esperar, insinuar ou convidar?

Uma pesquisa realizada por Muehlenhard e colaboradores nos EUA, na década de setenta, mostrou que a pior coisa que uma mulher poderia fazer é não fazer coisa alguma para verificar se uo seu interesse amoroso estava sendo correspondido (veja a citação deste artigo na Nota, no final desta postagem).

Esses pesquisadores perguntaram para 579 estudantes de um curso introdutório de psicologia (431 homens e 148 mulheres que tinham uma idade média de 19 anos) o que uma mulher deveria fazer, caso ela estivesse interessada em sair com um homem, mas este não a tivesse convidado. Nesta pesquisa foram oferecidas três alternativas de respostas: (1) convidar, (2) apresentar sinais de interesse em sair com ele e (3) esperar que ele tome a iniciativa de convidar.

Tanto os homens como as mulheres afirmaram que o melhor tipo de iniciativa que deveria ser tomado pelas mulheres seria a apresentação de sinais de interesse em sair com o parceiro (69,2% deles e 62,7% delas aprovaram essa forma de agir). O segundo tipo de iniciativa, convidar o parceiro, foi fonte de divergência entre os dois sexos: apenas 2,7 das mulheres e 26,5% dos homens acharam que a melhor medida seria convidá-lo. Esta diferença nas percentagens contradiz a crença popular que afirma que os homens não querem que as mulheres tomem esse tipo de iniciativa. Pelo contrário, esses resultados indicam que uma percentagem muito maior de mulheres do que de homens acham inapropriado este tipo de iniciativa.

“Esperar” só recebeu apoio substancial por parte das mulheres: 34,7% delas apoiaram este tipo de inação, contra apenas 4,3% dos homens que também a apoiaram.

Esta pesquisa revelou que quase a totalidade dos homens apoiava algum tipo de iniciativa feminina para marcar encontros (manifestar interesse +  convidar = 95,7%). Embora a grande maioria das mulheres dessa pesquisa também tivesse apoiado algum tipo de iniciativa feminina (manifestar interesse + convidar = 65,4%), cerca de um terço delas ainda achavam que a melhor atitude da mulher seria, simplesmente, esperar a iniciativa masculina!

Já faz um bom tempo que essa pesquisa foi realizada. Além disso, ela foi realizada em outro país. No entanto, creio que ainda hoje, aqui no Brasil, a mulheres são bem mais passivas do que os homens para tomar medidas explícitas para iniciar relacionamentos amorosos. No entanto, elas são muito hábeis em criar situações que facilitem convites amorosos por parte dos homens. Também são hábeis para flertar, o que acaba estimulando e encorajando os homens a convidá-las.

Um estudo exploratório que realizei indicou que os homens aprovam as mulheres que tomam iniciativas amorosas, mas tendem a considerá-las “avançadinhas demais” e, provavelmente, mais “fáceis” para fins sexuais do que as mulheres mais “recatadas”.  Esta forma dos homens encararem este tipo de iniciativa feminina parece explicar porque elas hesitam em apresentar esse tipo de convite: elas não querem ser encaradas como “fáceis” ou como “objetos sexuais”.

Liberação das mulheres na área amorosa

As mulheres vêm se liberando na área amorosa. Elas não precisam mais casar virgens, pelo contrário, isso até é mal visto (Ufa! Até que enfim!), podem “ficar”, não se sentem tão mal quando transam no primeiro encontro, não são consideradas “defeituosas” quando se separam, etc.

Apesar de todos esses avanços, ainda persistem várias diferenças entre os padrões de comportamentos que são socialmente esperados da parte delas e por parte de nós homens: muitas delas ainda consideram como inadequado fazer sexo sem afeto, masturbar-se, tomar iniciativas sexuais no início do relacionamento,  abordar o parceiro após uma paquera à distância, fazer esforço para  agradar o parceiro no primeiro encontro, etc.

A maioria de nós homens sente que é sua tarefa convidar a mulher para sair e que ela tem que trabalhar mais para que o relacionamento seja iniciado e progrida. Como cerca da metade dos homens são tímidos, estes sofrem muito quando as mulheres assumem uma postura mais reservada e enigmática no início do relacionamento. Quando isso acontece, existe uma boa chance que eles interpretem tais reservas como rejeição e, por isso, desistam delas.

Algumas iniciativas e reações das mulheres que seriam bem vindas

Muitas mulheres apresentam sinais muito fracos de interesse no parceiro e na conversa e, por isso, perdem oportunidades de iniciar e fazer progredir relacionamentos amorosos.

As seguintes medidas ajudam a conversa a ficar animada e são bem vindas quando são apresentadas tanto por homens como por mulheres:

- Dar os primeiros passos para iniciar o primeiro contato.

- Mostrar receptividade às iniciativas de contato que foram tomadas pelo pretendente. Por exemplo, nas conversas que acontecem através de aplicativos que são usados para iniciar e fazer progredir relacionamentos:

- Responder as mensagens rapidamente.

- Apresentar respostas favoráveis e estimulantes ao que foi dito pelo pretendente.

- Responder aos “ganchos” de assuntos que são lançados pelo pretendente e apresentar “ganchos” para facilitar a continuidade da conversa.

- Não ser sempre a primeira a terminar a conversa.

- Apresentar instigações para próxima conversa.

- Apresentar instigações e insinuações que contribuam para o progresso do relacionamento.

- Mostrar interesse em conhecer pessoalmente o pretendente.

- Mostrar animação com a conversa e com o que o interlocutor disse.

- Apresentar feedback pessoal para aquilo que o interlocutor disse (dizer o que você sentiu e pensou sobre aquilo que o interlocutor disse).

Você não consegue tomar iniciativas para iniciar e fazer progredir um relacionamento amoroso? Procure a ajuda de um psicólogo.

Nota

Muehlenhard, C. L. et al (1986). Verbal and nonverbal cues that convey intereste in dating: Two studies. Behavior Therapy, 17, 404 - 419

Use as ferramentas abaixo para compartilhar esse artigo. Caso você não queira que seus comentários sejam publicados, escreva para o meu e-mail: ailtonamelio@uol.com.br

Por Ailton Amélio às 14h01

17/06/2014

Aplicativos para iniciar relacionamentos amorosos são bastante eficazes

O uso de aplicativos para celular para ajudar a iniciar relacionamentos amorosos está produzindo uma verdadeira revolução na vida de pessoas que tinham muita dificuldade para ativar suas vidas amorosas. Parece que, finalmente, a internet está fazendo muita diferença nesta área. A história de Karina, apresentada a seguir, ilustra esse fato.

Karina descobre os aplicativos para iniciar relacionamentos e isso muda a sua vida amorosa

Karina havia se separado há pouco tempo. Ela estava chegando aos 40 anos, não tinha filhos, morava sozinha e tinha um bom emprego. 

A sua imagem do campo amoroso era antiga: ela foi formada antes do seu casamento, quando tinha 27 anos. Naquela época, ela tinha muita facilidade para atrair parceiros, paquerar e namorar. Era muito atraente e, além disso, a maioria dos homens da sua faixa etária ou um pouco mais velhos ainda não estava seriamente comprometida. Esta imagem de si e do campo amoroso se manteve inalterada até agora porque, depois que se casou, ela “dependurou as chuteiras”  e deixou de atualizar o seu “valor de mercado” e o que acontecia nesta área. 

Agora, depois da separação, levou um susto: quase todos os homens à sua volta, que a interessavam, estavam comprometidos. Frequentar barzinhos e baladas não era do seu agrado: custava caro, comprometia as suas horas de sono, era perigoso sair à noite, havia muita gente bêbada e os homens, nas poucas vezes que se aventurou a comparecer a esses lugares, só queriam “ficar” ou levá-la para a cama quase que imediatamente. Parecia que ela não tinha mais chances de voltar a ter um relacionamento amoroso. No ultimo ano, não saiu com ninguém. 

Ai ela descobriu os aplicativos para celular que se propunham a ajudar a iniciar relacionamentos amorosos. 

Descartou, logo de cara, aqueles aplicativos que facilitavam encontros sexuais.  Baixou um aplicativo que localizava parceiros nas imediações e começou a usá-lo. De repente, muitos possíveis parceiros foram localizados e começaram a surgir na tela do seu celular. Ela começou a marcar alguns desses parceiros que mais a atraiam. Alguns deles também a marcam e iniciaram diálogos com ela.

Pouco tempo depois, a sua percepção da realidade amorosa mudou bastante. Lá estava ela, de novo, como nos velhos tempos, vivendo no mundo mágico do amor: paqueras rolando, papos noite à dentro, gente nova que aparecia, gente que sumia e voltava a aparecer...

Os melhores caminhos para iniciar relacionamentos amorosos

A maioria dos relacionamentos amorosos é iniciada entre pessoas que já se conhecem, entre pessoas que foram apresentadas por conhecidos em comum e entre desconhecidos que flertaram a distância e se abordam (geralmente em paqueródromos).

A maioria desses relacionamentos amorosos é iniciada por pessoas que estão na casa dos vinte anos ou no começo da casa dos trinta. Na fase da vida, quase ninguém está casado e, por isso, é muito fácil encontrar alguém interessante e não comprometido seriamente. Além disso, existem muitas atividades e locais que são frequentados por esses jovens diariamente, o que facilitada o contato entre eles.

Depois dessa idade, a maioria das pessoas já está casada ou seriamente compromissada, começa a trabalhar, assume mais responsabilidades e, tudo isso, acaba restringido o tempo livre, a disposição e a disponibilidade para iniciar relacionamentos amorosos.

Os aplicativos são mais úteis para aqueles que têm mais de trinta anos

Se a pessoa tem dificuldades para iniciar relacionamentos quando está na casa dos vinte anos, seu problema provavelmente não é a falta de oportunidades para encontrar possíveis parceiros compatíveis, mas sim, de outra ordem: timidez, baixa autoestima, baixa atratividade, etc. Neste caso, o uso de aplicativos não vai ajudá-la muito a superar suas dificuldades, pois a maior contribuição desses aplicativos é a ajuda para localizar possíveis parceiros e facilitar os contatos iniciais com eles. Na faixa dos vinte anos, tais facilidades já estão presentes na vida da maioria dos jovens e, por isso, eles não se beneficiarão muito da internet para esta finalidade. Os problemas que as pessoas dessa faixa etária têm, que estão atrapalhando suas vidas amorosas, vão continuar a prejudicá-las, mesmo se elas fizerem uso de aplicativos facilitadores de inícios de relacionamentos.

Se a pessoa que tem dificuldades para iniciar namoro tem mais que  trinta anos, é provável que ela vá se beneficiar de qualquer recurso que aumente os seus contatos com possíveis parceiros porque, depois de uma certa idade, fica mais difícil encontrar parceiros compatíveis, disponíveis e dispostos a  desenvolver relacionamentos amorosos. No entanto, outros problemas que ela já tinha poderão continuar a prejudicar suas chances de iniciar esse tipo de relacionamento.

 Aplicativos que ajudam a iniciar relacionamentos amorosos

Houve várias tentativas para gerar programas na internet para facilitar os relacionamentos amorosos. Os sites de relacionamento, aqueles que pedem que você preencha um longo questionário sobre suas características e sobre as características desejadas em um parceiro, ainda estão ai e funcionam bem em certos casos.

Agora, a grande novidade são os aplicativos que localizam os possíveis parceiros, que também estão inscritos, que se encontram dentro de uma distância especificada. Cada interessado marca aquelas pessoas cujas fotografias e as poucas informações oferecidas o agradaram. Quando há reciprocidade nesta marcação, ambas as partes são informadas. Quando apenas uma delas marcou a outra, a pessoa que foi marcada unilateralmente não recebe nenhuma informação. 

Estes aplicativos também fornecem um sistema para iniciar as conversas quando houve escolha mútua. Quando esses inícios de relacionamento são animadores, muitas pessoas convidam seus parceiros para continuar a conversa em outros aplicativos que são mais ágeis e dinâmicos ou para fazerem usos de outras tecnologias que facilitam e tornam as conversas mais reais, como celulares e vídeo chamadas. 

Aplicativos funcionam como ponto de encontro 

O aplicativo produz um ponto de encontro entre possíveis compatíveis: pessoas dispersas podem se encontrar lá. 

Maiores vantagens que podem ser oferecidas pelos aplicativos

Os aplicativos oferecem diferentes ferramentas, facilidades e vantagens. Algumas delas são as seguintes:

- Localização de pessoas que estão nas proximidades que estão querendo iniciar relacionamentos amorosos. (Pessoas que moram, trabalham, estão visitando alguém nas proximidades, etc.).

- Acesso a pessoas que estão nas proximidades o aplicativo oferece alguma maneira de você iniciar e desenvolver diálogos com aquelas pessoas que tiveram seleção recíproca

- Exibição das fotos e de algumas informações sobre pessoas que você selecionou e que selecionaram você.  

- Ferramenta para entrar em contato e conversar com pessoas que também selecionaram você.

- Custo zero ou baixo custo. Essas ferramentas geralmente são oferecidas gratuitamente ou a baixo custo.

- Pouco trabalho e investimento para localizar, e entrar em contato: não é necessário se produzir, consumir, estacionar, pagar ingresso!

Tarefas que devem ser realizadas pelo usuário sem o auxílio do aplicativo

Obviamente o aplicativo não faz tudo por você. Várias tarefas são realizadas pelo usuário. Algumas delas são as seguintes:

- Seleção dos possíveis parceiros que atenderam os critérios iniciais que são disponibilizados pelo aplicativo. É você que vai decidir entre os possíveis parceiros que o aplicativo indicou. Um dos principais critérios para esta decisão são as fotos. Elas dão pistas sobre a beleza, faixa etária, cuidados com a pele e pilosidade, etc.

- Seleção através do papo. Modo e conteúdo das conversas: fluidez da conversa, tipos de assuntos que são tratados, pressa ou lentidão excessiva do parceiro para entrar em assuntos amorosos ou para marcar um encontro, domínio da linguagem escrita, objetivos do parceiro na área amorosa, etc.

- A decisão sobre o tipo e profundidade de informações que você vai oferecer. Quando e quais informações serão fornecidas é uma decisão sua. Uma dessas decisões é a de fornecer links para outros locais onde existem muitas outras informações sobre você (Facebook, Instagram, etc.).

- Decisão sobre quando vai aceitar ou propor um encontro real com o parceiro. Existem vantagens e desvantagens de partir para o entro muito rapidamente ou muito tardiamente!

Vantagens da seleção simultânea x sequencial de parceiros amorosos

O uso de aplicativos para iniciar relacionamentos amorosos parece ter outra grade vantagem: a seleção de parceiros que é realizada simultaneamente com vários parceiros parece produzir melhores resultados do que aquela que é realizada em sucessão, com vários parceiros, um de cada vez!

Quando a comparação é simultânea, fica mais fácil comparar. A seleção sequencial causa envolvimento com o parceiro, com o seu circulo de relacionamento e com as atividades que vão sendo desenvolvidas com ele. Tudo isso contribui para a diminuição da objetividade e dos objetivos desses empreendimentos que seria a escolha um bom parceiro.

Maiores desvantagens do uso de aplicativos

Esses aplicativos não trazem apenas vantagens e benefícios. Alguns dos problemas que eles trazem são os seguintes:

- Nestes aplicativos, a incidência de pessoas que querem sexo imediato é maior do que na vida real. Entre aqueles que se conhecem, há mais cautela nas tentativas para iniciar relacionamentos amorosos porque essas tentativas, bem sucedidas ou não, podem produzir modificações duradouras nos relacionamentos entre elas. Essas pessoas vão continuar a se ver no dia a dia. Mesmo quando elas não se conheciam até então, mas têm conhecidos em comum, as consequências são maiores do que entre desconhecidos: outras pessoas ficarão sabendo da tentativas amorosas e isso vai ter reflexos nos relacionamentos com elas.

- É necessário possuir um celular que permita instar aplicativos. Esses celulares podem ser bastante caros.

- Tempo dedicado para encontrar bons parceiros. Encontrar parceiros compatíveis e que tenham os mesmos objetivos exige muitas horas de conversa. 

- Volatilidade. Muitas daquelas pessoas que fazem uso dessas ferramentas acabam tendo muitos pretendentes. Isso pode fazer que elas não tenham persistência suficiente para fazer que os relacionamentos progridam: conversam um pouquinho com um pretendente, depois com outro. Desistem quando se deparam com pequenas dificuldades que são inerentes ao início desse tipo de relacionamento.

- Sofrer decepções. Existe muito espaço para surpresas desagradáveis: pode haver muita diferença entre aquilo que você imaginou sobre o parceiro, que foi estimulado pelas fotos produzidas e selecionadas por ele, e quem realmente é na vida real. É improvável que encontre alguém desejável e que corresponda ao seu interesse, logo de cara.

Kit de segurança para quem usa aplicativos para iniciar relacionamentos amorosos

O uso de aplicativos, como os encontros amorosos com desconhecidos, traz riscos.  Algumas medidas de segurança que devem ser seguidas por aqueles que fazem uso dessa ferramenta são os seguintes:

- Não fornecer informações perigosas para desconhecidos: rendimentos, endereço, horários que chega e sai de casa, etc. Essas informações só podem ir sendo fornecidas à medida que vai aumentando a confiança que a ele é realmente quem diz ser e vão surgindo evidências de que ele é honesto e pode ser facilmente identificado e localizado. Geralmente cabe ao homem correr os maiores riscos iniciais.

- Não aceitar carona

- Não convidar para vir à sua casa e não ir à casa do parceiro, até que você se certifique que ele é realmente confiável.

- Não permitir que o estranho a acompanhe até o carro, principalmente se o lugar for deserto.

Problemas para iniciar relacionamentos amorosos? Procure a ajuda de um psicólogo

Está na hora de incluir os estudos sobre o AMOR nos cursos, artigos, livros e eventos sobre a sexualidade, vc não acha?

Ou o sexo é algo autônomo e técnico, que não é afetado pelos sentimentos e estados do relacionamento?

Use as ferramentas abaixo para compartilhar esse artigo. Caso você não queira que seus comentários sejam publicados, escreva para o meu e-mail: ailtonamelio@uol.com.br

Por Ailton Amélio às 09h07

10/06/2014

Porque vale a pena comemorar o "Dia do Namoro"

No próximo dia 12, aqui no Brasil, é o “Dia dos Namorados”. Este dia perdeu muito do seu caráter romântico e tem se tornado cada vez mais comercial. Muita gente não dá o devido valor para essa comemoração por considerá-la superficial e muito comercial.

Neste artigo, vou defender as seguintes ideias: (a) esse dia deveria se chamar “Dia do Namoro”, (b) é importante comemorar, (c) esse dia deveria ser comemorado por todos aqueles que têm um relacionamento romântico (d) as comemorações neste dia devem ter um conteúdo mais romântico e menos comercial.

Este artigo vai tratar principalmente das comemorações dessa data, o que pressupõe, portanto, que ele é mais do interesse daqueles que já estão em um relacionamento amoroso. Para aqueles que estão querendo iniciar um namoro, sugiro que leiam outros artigos aqui do meu blog, que tratam desse assunto. Sugiro, em especial, os meus dois artigos anteriores a este.


“Dia do Namoro” e não “Dia dos Namorados”

Namorado. Esse termo é usado aqui para nomear aquelas pessoas que estão em um dos estágios iniciais de um relacionamento amoroso (paquera, “ficante”, namorado, noivo, casado, amante, etc.).  

Namoro ou namorar. Esses termos são usados aqui para nomear diversos tipos de comportamentos românticos: olhar nos olhos longa e amorosamente, beijar romanticamente, dançar de rosto colado, apresentar declarações de amor, abraçar apertado e por um bom tempo.

Geralmente, para namorar, é necessário haver sentimentos românticos por parte de quem namora. Geralmente, o namorar é bilateral: não dá para um dos parceiros namorar e o outro, não. Por isso, namorar é um tipo de atividade romântica que indica a existência de romantismo entre os namorados e que o relacionamento entre eles está muito bom.


Porque é importante comemorar o Dia do Namoro

Estudos antropológicos apresentaram muitas evidências sobre a importância e funções dos rituais comemorativos e dos rituais de passagem. Esses rituais, por exemplo, fortalecem os vínculos, facilitam e firmam os papéis sociais, renovam os compromissos e dão sentido para a vida. Sem esses rituais, ficaríamos com a sensação que a nossa vida é vazia e solitária e que não pertencemos aos grupos sociais. O dia dos namorados é um dia para praticar rituais comemorativos.

Funções do estágio do namoro

O estágio do namoro, além de ser muito gostoso, serve como um teste da compatibilidade do casal. A teoria dos filtros afirma que a escolha do parceiro se dá em várias etapas, sendo que cada uma delas funciona como um filtro que vai ficando cada vez mais fino. Por exemplo, para muitas pessoas que flertam com desconhecidos, o primeiro filtro é a aparência. Em seguida, o convívio serve como um teste mais fino para verificar se o casal realmente funciona bem, tanto nos assuntos práticos como na área amorosa.

Muitas qualidades e defeitos demoram para ser conhecidos. A percepção da aparência é imediata. No entanto, para perceber se o outro é honesto e emocionalmente equilibrado, geralmente demora mais tempo e é necessário conviver com ele em várias situações.  Todos os animais que formam parcerias procriativas duradouras têm uma fase de cortejamento prolongada. Devido às tremendas consequências dessa parceria, vale a pena escolher bem o parceiro e isso demanda tempo!

Além das dificuldades intrínsecas para avaliar certas qualidades e defeitos, no início do relacionamento, os parceiros têm uma propensão para idealizar aqueles que admiram (“O amor é míope e o casamento, um bom par de óculos”).  Além disso, no início do namoro, cada parceiro procura mostrar suas melhores qualidade e a omitir os seus piores defeitos.  Outro fator que dificulta a avaliação do parceiro é o fato de que, no início do relacionamento, o casal geralmente só tem encontros em situações agradáveis: momentos de lazer,  restaurantes, passeios, eventos culturais. É preciso estar com o parceiro em situações mais práticas e difíceis e no convívio social para avaliar como ele realmente é.

Durante o namoro, o casal também tem a oportunidade de verificar se é possível desenvolver um bom nível de intimidade entre eles e se a companhia mútua é agradável e nutritiva.


O namoro deve estar presente todos os dias e em todos os tipos de relacionamentos românticos

Infelizmente, muita gente que tem algum tipo relacionamento amoroso não namora, nem no “Dia do Namoro” nem nos outros dias. Essas pessoas só mostram que têm compromisso e, com sorte, amizade e carinho pelas parceiras, mas, não, sentimentos românticos por elas. Quem age assim, pode ser casado, pode transar, pode ser amigo, pode ser fiel e comprometida, mas foi deixando de lado o romantismo.

É importante que o namoro esteja frequentemente presente em todos os tipos de relacionamentos amorosos e não só nos estágios iniciais deste tipo de relacionamento. É muito bom quando o namoro continua a acontecer depois de um bom tempo de relacionamento amoroso. Além disso, ele é uma das principais características de um relacionamento romântico. Sem namoro, o relacionamento pode ser amistoso, comercial, fraternal ou, até, sexual (interesse só em sexo). Namorar aproxima o casal e facilita o relacionamento em outras áreas, como na amistosa, na sexual e no comprometimento.


Dê um conteúdo mais romântico e menos comercial para o Dia do Namoro

Não invalide essa data só porque ela se tornou muito comercial: “Não jogue fora a criança junto com a água do banho”. A comemoração dessa data fortalece o compromisso, revigora a afetividade e dá sentido à vida. Você pode dar um caráter mais romântico do que comercial para ela. Por exemplo, ao invés de oferecer presentes caros, capriche no lado romântico da comemoração: flores, jantar, cartão  e principalmente,  comportamentos românticos: olhos nos olhos, declarações e renovação de compromissos.

Adianta muito pouco comprar um belo presente e levar a amada para jantar e tratá-la como uma simples amiga ou, pior ainda, de uma forma fria e distante.

Algumas sugestões para expressar romantismo

Para que essa comemoração produza efeitos benéficos, é importante comemorá-la devidamente:

- Produza-se: corte o cabelo, capriche na maquilagem, use roupas bonitas e especiais.

- Vá a um lugar romântico e apropriado para esse tipo de comemoração ou comemore reservadamente, mas com capricho: arranje uma maneira de ficar sozinho com ela, luz de velas, música romântica e providencie uma comidinha especial

- Dê um presente que, embora não custe muito, seja do agrado da amada e mostre que você pensou nela ao escolhê-lo

- Troque símbolos que indiquem ou promovam vínculos entre o casal (anéis, cartões).

- Promova um encontro mais cerimonioso. É importante haver um momento mais cerimonioso, onde aconteçam alguns rituais. Por exemplo, proponha um brinde, diga algumas palavras afetivas e vinculadoras e beija a parceira.

- Dê flores. As flores não têm utilidade prática e, por isso mesmo, acentuam o aspecto comemorativo.

----------xxxx-------

Está na hora de incluir os estudos sobre o AMOR nos cursos, artigos, livros e eventos sobre a sexualidade, vc não acha?
Ou o sexo é algo autônomo e técnico, que não é afetado pelos sentimentos e estados do relacionamento?

Use as ferramentas abaixo para compartilhar esse artigo. Caso você não queira que seus comentários sejam publicados, escreva para o meu e-mail: ailtonamelio@uol.com.br

Por Ailton Amélio às 08h43

01/06/2014

Sete dificuldades dos tímidos para iniciar relacionamentos amorosos

André, o tímido, só namorava quem o abordava!

André é um músico de muito sucesso. Várias de suas composições são interpretadas por cantores famosos, aqui no Brasil. No entanto, ele é muito tímido. Quando está na presença de uma mulher muito atraente, fica semiparalisado e se torna incapaz de tomar qualquer tipo de iniciativa para demonstrar o que está sentindo. André nunca conseguiu namorar quem ele queria. Ele, até hoje, só conseguiu namorar aquelas mulheres que tomaram a iniciativa de abordá-lo. Nunca teve coragem suficiente para tomar as medidas necessárias para iniciar um relacionamento com mulheres que o atraiam.

Os tímidos geralmente têm dificuldades para iniciar relacionamentos amorosos. Muitas vezes, eles ficam sozinhos ou acabam se conformado em namorar parceiras menos desejadas do que teriam condições de conseguir.

Uma evidência desta dificuldade foi apresentada por Caspi e colaboradores (1988). Estes autores localizaram um grupo de pessoas que tiveram os seus graus de timidez avaliados há 30 anos. Estes autores constataram que aquelas pessoas que haviam sido classificadas como tímidas, nestas avaliações, haviam se casado cerca de três anos mais tarde do que aquelas que foram classificadas como não tímidas nesta mesma ocasião.

A timidez empobrece o desempenho

As pessoas tímidas se portam de forma mais pobre do que são capazes quando estão em situações intimidantes. A timidez é fortemente despertada pela presença de alguém por quem elas sentem muita atração. Por isso, nesta ocasião, elas perdem oportunidades para fazer comentários inteligentes, se tornam menos hábeis para conduzir uma conversa interessante e podem se comportar de uma forma desastrada (falar coisas insensatas, gaguejar, cometer lapsos, etc.).


Sete dificuldades dos tímidos para iniciar relacionamentos amorosos

A timidez faz com que o tímido não tome as medidas que facilitam o início de um relacionamento amoroso.

O sucesso para iniciar um relacionamento amoroso depende, até certo ponto, de uma série de iniciativas apresentadas por ambos os parceiros. A timidez pode dificultar tais iniciativas e, desta forma, diminuir drasticamente as chances de iniciar esse tipo de relacionamento.

 As principais dessas iniciativas são as seguintes:

1- Melhorar a aparência.

As pessoas, quando estão interessadas em iniciar um relacionamento  amoroso, procuram melhorar as suas aparências. Evidências neste sentido foram apresentadas por David Buss (1994). Este autor pediu para centenas de pessoas descreverem o que fariam para atrair um parceiro. Várias das medidas descritas por estas pessoas tinham como objetivo a melhoria da aparência. Exemplos de medidas desse tipo: manter-se bem arrumado, apresentar uma aparência asseada, manter um bom preparo físico para criar uma aparência de saúde e usar vestuário elegante e na moda.

Os tímidos geralmente não têm coragem de usar a aparência para atrair a atenção de possíveis parceiras. Pelo contrário, procuram não chamar a atenção sobre si através da aparência. É muito raro ver um tímido usando uma roupa ousada. Pelo contrário, eles procuram se vestir, usar acessórios e cortes de cabelo do tipo que estão sendo usados pela maioria das pessoas. Ou seja, eles tentam “se confundir com a paisagem” e não destacarem-se dela!.

2- Frequentar locais e atividades nos quais é provável encontrar parceiros amorosos.

Os principais tipos de locais e atividades desse tipo são aqueles que:

(a) As pessoas frequentam por motivos extra-amorosos como, por exemplo, escolas, trabalho, clubes, etc.,

(b) As pessoas frequentam com a intenção especifica de arranjar namorados ( “paqueródromos”: baladas, sites de relacionamento, etc.)

(c) Locais onde existe uma boa chance de ser apresentado para novas pessoas (festas de conhecidos, lançamento de livros, etc.).

Muitas vezes os tímidos não têm coragem de frequentar esses locais ou atividades ou, mesmo quando os frequentam, não usam os “caminhos” que são eficazes para iniciar relacionamentos amorosos. Vamos ver agora quais são esses caminhos.

3- Usar os caminhos para iniciar um relacionamento amoroso

Os principais caminhos que são usados para iniciar relacionamentos amorosos  são os seguintes:

(a) Transformar um relacionamento extra-amoroso que já existe em um relacionamento amoroso (por exemplo, flertar com uma colega de escola ou de trabalho)

(b) Apresentação por conhecidos em comum. Frequentar locais e andar na companhia de pessoas que aumentem as chances de apresentações.

(c) Flertar com uma desconhecida e abordá-la ou incentivar que ele faça a abordagem.

(d) Aproveitar encontros acidentais para conhecer possíveis parceiras. Por exemplo, aproveitar a proximidade de alguém em uma fila ou em uma condução para puxar conversa, flertar e arranjar um novo encontro.

(f) utilizar serviços de aproximação amorosa: facebook, aplicativos para localizar e iniciar relacionamentos, salas de bate papo. Flertar na internet e, em seguida, tentar arranjar um encontro na vida real

Muitas vezes as pessoas tímidas não têm coragem de utilizar estes caminhos, de forma eficiente, para iniciar relacionamentos amorosos.

4- Exibir comportamentos eficazes para chamar a atenção e provocar a aproximação de pessoas do sexo oposto.

Monica Moore (1985), famosa pesquisadora norte-americana, identificou 52 comportamentos que quando são adotados por mulheres, em locais públicos, provocam a aproximação masculina. Os 10 comportamentos desse tipo mais frequentemente observados por esta autora foram os seguintes:

(a) Olhar de varredura (o olhar percorre todo o ambiente).

(b) Olhar dardo (olhar para uma pessoa durante 3 segundos ou menos).

(c) Fixar o olhar (olhar para uma pessoa por mais de 3 segundos).

(d) Sorrir (mostrando ou não os dentes).

(e) Rir (geralmente após algum comentário).

(f) Dançar sozinha (a mulher dança sozinha na pista de dança).

(g) Jogar a cabeça para trás (geralmente quando ri).

(g) Ajeitar os cabelos. Este comportamento é simbólico já que é exibido mesmo quando os cabelos já estão perfeitamente penteados!

(h) Inclinar o tronco em direção ao parceiro (quando sentado).

(i) Gesticular (aumentada durante a fala).

Os tímidos muitas vezes não têm coragem para exibir estes comportamentos.

5- Apresentar transformações físicas e posturais na presença de um parceiro atraente.

Scheflen (1965) descreveu várias transformações físicas e posturais que acontecem com uma pessoa que está na presença de alguém que a atrai. Tais transformações fazem com ela fique mais atraente e sinalizam para o parceiro que ela está sendo afetada pela sua presença.

O tímido pode reprimir estas transformações ou evita se aproximar da pessoa que o atrai, não permitindo, desta maneira, que estas transformações sejam observadas pela pessoa que ele acha atraente.

6- Negociar a diminuição da ambiguidade das intenções dos parceiros

A ambiguidade é parte intrínseca do início de um relacionamento amoroso. Nos primeiros estágios de um relacionamento amoroso, temos dúvida se a outra pessoa está sendo apenas amistosa, cordial, polida etc. ou se está mostrando algum interesse amoroso em nós.

As pessoas tímidas têm muita dificuldade para lidar com esta ambiguidade, deixam de tomar qualquer tipo de iniciativa para esclarecê-la ou tomam iniciativas muito agressivas e desajeitadas com esta finalidade.

7- Flertar com parceiros.

O flerte é a maneira mais importante de verificar se há interesse amoroso recíproco. O flerte pode acontecer à distância, como ocorre entre pessoas desconhecidas, ou durante a conversa face a face, como ocorre entre dois conhecidos.

As pessoas muito tímidas podem suprimir ou atenuar os sinais de flerte e, desta forma, dificultar o início de um relacionamento amoroso. 

Você é tímido e, por isso, está com dificuldades para iniciar relacionamentos amorosos? Procure a ajuda de um psicólogo.

NOTAS

Caspi, A., Elder, G. H., Jr., & Bem, D. J. (1988). Moving away from the world: Life-course patterns of shy children. Developmental Psychology, 24, 824-831.

------------------------------xxxxxxxxx---------------------------

Está na hora de incluir os estudos sobre o AMOR nos cursos, artigos, livros e eventos sobre a sexualidade, vc não acha?
Ou o sexo é algo autônomo e técnico, que não é afetado pelos sentimentos e estados do relacionamento?

Use as ferramentas abaixo para compartilhar esse artigo. Caso você não queira que seus comentários sejam publicados, escreva para o meu e-mail: ailtonamelio@uol.com.br

Por Ailton Amélio às 08h54

Sobre o autor

Ailton
Amélio

é psicólogo
clínico,

doutor em Psicologia e professor do Instituto de Psicologia da USP. Autor dos livros "Relacionamento amoroso" (Publifolha), "Para viver um grande amor" (Editora Gente) e "O mapa do amor" (Editora Gente).

Sobre o blog

Um blog sobre relacionamento amoroso e comunicação interpessoal.

Histórico